Música & Gastronomia. Em festival de culinária peruana, a DJ Ludmila Prado fala sobre a carreira. Foto: Nando Jr/Divulgação

Para quem gosta de comida e uma boa conversa, sentar-se à mesa é um ato prazeroso que requer companhia. Partindo dessa premissa, convidamos Ludmila Prado, 31 anos, para uma noite tipicamente peruana no festival do M Bar & Cozinha, instalado no hotel Mercure Colinas, para saber mais sobre a vida da DJ que é de São José dos Campos e, no último ano, se tornou a favorita para tocar em festas de celebridades e clubes badalados de São Paulo.

Quem a vê na noite paulistana acha que a ex-empresária sempre viveu da música. Como ela mesma descreve, quando está no palco não há nervosismo ou vergonha que intimide a performance dela. “Eu me encontrei. Agora, estou buscando lançar músicas porque experiência de palco eu tenho. A carreira de um DJ depende muito de uma música estourar”, afirma Ludmila, que há duas semanas lançou no Spotify, “Tô Solteira”, em parceria com Cris Proença, uma DJ conhecida entre a high society paulistana.

Conversa vai e vem, Lud fala sobre a sua relação com a gastronomia e as boas referências que possui. Ela é irmã da empresária Melissa Prado que comanda dois renomados restaurantes em São Paulo: o Sarrasin, um bistrô francês na Vila Olímpia e o Evvai, um italiano em Pinheiros, que tem sua cozinha contemporânea orquestrada pelo chef Luiz Filipe Souza e, no último mês, passou a integrar o seleto time de restaurantes paulistanos com uma estrela Michelin.

“O Evvai tem uma culinária mais moderna. Minha irmã não é cozinheira, ela entrou nesse ramo há seis anos com o meu cunhado e juntos eles estão se interessando cada vez mais por esse universo. Agora, vão abrir um buffet para atender em domicílio”, disse.

CARREIRA. Enquanto Ludmila fala sobre a sua relação com a filha Alice, de 05 anos, fazemos o pedido. A aposta é o clássico ceviche para a entrada (R$31), diga-se de passagem, elogiado pela DJ por acompanhar chips de jiló e o filé de tilápia ter um toque especial de limão cravo e maracujá.

“Morei em São Paulo por 12 anos. Escolhi voltar para São José porque minha família vive aqui e eu priorizei a qualidade de vida dela minha filha. Então, de quinta a domingo estou tocando, geralmente, em São Paulo. O restante do tempo estamos juntas”, explicou Lud, que há um mês se tornou DJ residente da balada Tetto Rooftop Lounge.

Até ser convidada para tocar no aniversário de Rodrigo Faro e Latino, recebendo outros convites como o das irmãs Maiara e Maraisa para se apresentar em uma festa surpresa para o sertanejo Fernando (da dupla com Sorocaba), foi necessário pouco mais de um ano desde que ela fez o seu primeiro curso de discotecagem. Mas foi em 2019, de fato, que o sucesso começou a brilhar para a joseense, quando ela teve a chance de compor lineup ao lado de importantes nomes do eletrônico, como Jetlag, Vintage e Bruno Martini.

“Minha história como DJ ainda vai completar dois anos. Sempre gostei de festas e por ter amigos donos de clubes em São Paulo, vivia no backstage e isso me despertou o desejo de tocar. Mas achava que não saberia lidar com aquela ordem de botões. Fiz alguns cursos, comecei a tocar em festas de famosos e não parei mais. Agora já tem oito meses que estou trabalhando com produção musical”, disse.

REPERCUSSÃO. Como prato principal, a escolha de Ludmila é o arroz chaufa de polvo (R$40), que é temperado com molho shoyu e salsa, finalizado com uma gema curada. Apaixonada por vinhos, ela aprecia a receita e diz que, às vezes, se assusta com os rumos que a carreira está ganhando. A produtora musical acaba de fechar parceria com a Front 360 e o manager Beto Bianco, empresário do projeto de música eletrônica Selva.

Na próxima semana, feriado de Corpus Christi, tem cinco datas fechadas para tocar em Campos do Jordão, uma delas no mesmo lineup que Alok. Em agosto, embarca em uma turnê para Miami e Orlando (EUA), encerrando o ano com apresentações na Ásia. “Acho que o sucesso se deve, sim, ao fato de terem poucas mulheres tocando, além de bom relacionamento, carisma, técnica e bom gosto, porque se você não tem um bom gosto musical, esquece”, justifica.

Semana dos namorados, encerramos com o bolo de laranja Tres Leches (R$15), umedecido no leite, creme de leite e leite condensado com cachaça, para adoçar a alma e diminuir a carência que, às vezes, ela afirma bater com a rotina artística. Solteira, Ludmila se diverte ao revelar que os homens não lidam bem com a sua profissão.

“Não estou namorando, mas gostaria. Por conta da agenda, por estar na noite e eles acharem que tem muito homem no meu pé, é difícil conciliar. Precisa ser um homem muito seguro para dar certo”, finalizou.

SERVIÇO

Festival Peruano – Até 30 de junho, em São José dos Campos 

365 Bar & Restaurante – Novotel – Avenida Dr. Nelson D’ávila, 2.200 – Vila das Acácias.
Telefone: (12) 4009-7800.

M Bar & Cozinha – Mercure Hotel – Avenida Dr. Jorge Zarur, 81 – Jardim Apolo. Telefone: (12) 3904-2300.

Deixe uma Resposta

16 − quatro =