Aumento do consumo de alimentos e bebidas funcionais refletem preocupação com saúde

Sempre que um novo ano começa fico me perguntando o que ele reserva pra gente. E desde que comecei a escrever neste espaço, também passei a ficar mais atento ao que deve se tornar tendência quando o assunto é gastronomia e alimentação.

Várias empresas ao redor do mundo desenvolvem pesquisas sobre o tema para prestar consultoria aos clientes que atuam nesse segmento. Com base nos resultados de algumas delas, apresento aqui alguns pontos que devem estar em alta em 2020.

Burger e outros produtos à base de vegetais ganham espaço nas prateleiras dos mercados. Foto: Divulgação

Proteína Vegetal
Em 2019, uma “carne” 100% feita de vegetais conquistou espaço na mídia, ganhou a atenção de vegetarianos e veganos e até daqueles que apreciam a proteína animal, mas buscam reduzir o consumo. De olho nessa demanda, empresas de alimentação devem apostar em outras receitas de “carne” vegetal em 2020, além de leite, queijo e outros produtos sem nada de origem animal.

Híbridos
Tem muita gente que aderiu ao consumo de produtos feitos somente à base de plantas levando em conta a questão ecológica e o impacto negativo da produção da proteína animal ao meio-ambiente. Pensando nesse público, empresas devem investir também nos produtos híbridos, aqueles que mesclam proteína animal e vegetal. Uma alternativa para quem deseja fazer escolhas que contribuem com a natureza, mas não conseguem abrir mão do sabor da carne, seja ela branca ou vermelha.

Drinques sem álcool
Essa é uma tendência que já apareceu por aqui em anos anteriores. Drinques não alcoólicos devem permanecer em alta em 2020. O que talvez tenha mudado é o que faz a demanda por esse tipo de bebida aumentar. Se antes a preocupação era não combinar álcool e direção, hoje, com a crescente busca por uma vida mais saudável, muitos estão reduzindo o consumo de alcoólicos. Outra tendência é que os especialistas devem apostar não só em bebidas originais, mas também tentar recriar clássicos, preparando drinques que lembrem gim-tônica, por exemplo, e até vinho. Tudo sem álcool.

Drinques sem álcool estarão mais um ano em alta

Comer saúde
A preocupação com a saúde também deve tornar a escolha dos alimentos mais criteriosa e consciente. Por isso, comidas e bebidas funcionais devem ganhar ainda mais força. Receitas que combinam ingredientes e ajudam o organismo a funcionar melhor, tanto na digestão, quanto na absorção de nutrientes, e aqueles que favorecem o funcionamento de órgãos específicos devem estar mais presentes nas refeições.

Coworking gastronômico
Você já deve ter notado a quantidade de marcas presentes nos aplicativos de delivery de comida que não possuem ponto fixo aberto ao púbico. Muita gente encontrou nas chamadas “cozinhas fantasmas” uma alternativa para entrar no segmento gastronômico e ganhar dinheiro com investimento reduzido. Essa tendência fez os donos de restaurantes e outros empreendimentos gastronômicos abrirem portas e sublocarem os espaços para terceiros. Daí nasceu o conceito de coworking gastronômico, que reúne em um único local várias empresas de alimentação que compartilham a estrutura e os custos dela entre si. Esses espaços devem se multiplicar neste ano.

Deixe uma Resposta

19 + dezessete =