A Assoolive (Associação dos Olivicultores dos Contrafortes da Mantiqueira e Sudeste), que reúne 32 pequenos e médios produtores de azeites nacionais da melhor qualidade, concentrados nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, acaba de criar o Selo de Origem Certificada para azeites da região.

Segundo o presidente Moacir Batista do Nascimento Filho, a associação foi criada em 2009, visando a união dos produtores em um objetivo comum: o fortalecimento do setor e valorização do azeite brasileiro.

“Temos orgulho de fazer parte da construção da história do azeite no Brasil, o mais rico produto funcional que a natureza nos oferece através do plantio. Com muita paixão, responsabilidade e rigor com a qualidade, queremos que o azeite dos Contrafortes da Mantiqueira seja reconhecido e apreciado nacionalmente por suas características únicas e especiais”, completa.

Qualidade. Especialmente na Mantiqueira as azeitonas são produzidas em pomares com “terroir” especial – índice de chuva, altitude e temperatura – para a colheita de frutos saudáveis, resultando num azeite de baixa acidez e excepcional aroma e sabor, que atende ao paladar mais exigente. A safra do azeite, acontece anualmente entre fevereiro e abril e o grande diferencial é o seu frescor, pois é extraído, engarrafado e em seguida já chega à mesa do consumidor, diferentemente do azeite importado de outros países.

Cada “terroir” atribui ao azeite características particulares, ou seja, uma mesma variedade de azeitonas produzirá azeites diferentes de acordo com a sua origem. Nos contrafortes da Mantiqueira algumas espécies da fruta, trazidas da Espanha, Grécia e Itália se adaptaram bem, resultando nas principais atualmente cultivadas, produzindo azeites do tipo monovarietal ou blends: Arbequina, Koroneiki, Grappolo, Arbosana e Coratina. A azeitona Maria da Fé é a única essencialmente brasileira desenvolvida na cidade do mesmo nome, em Minas Gerais.

Selo. Em 2022, a Assoolive lançou o Selo de Origem Certificada, onde os associados têm a opção de inserir nas garrafas de azeites, mediante atender importantes especificações:

– 100% do azeite deve, obrigatoriamente, ser proveniente de oliveiras cultivadas em altitudes superiores a 900 metros, na região da Mantiqueira e Sudeste do Brasil, extraído de frutos somente por meios mecânicos sob condições que não levem à deterioração do azeite.

– O azeite deve, obrigatoriamente, ser classificado como tipo Extravirgem e ter acidez livre, em termos de ácido graxo oleico livre, não superior a 0,4% (g/100g).

– Na embalagem estar indicado o ano da safra, data de validade e lote do azeite.

– Análise química do azeite – deverá ser realizada por laboratório certificado pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

O produtor poderá renovar a cada safra o Selo de Origem Certificada, como importante referência de qualidade para o consumidor final.

SERVIÇO

Para saber mais sobre a Assoolive e os azeites nacionais, acesse: www.assoolive.com.br

Deixe uma Resposta

13 − 4 =