Anderson Oliveira comenda a experiência "Chefe na Floresta", proposta do restaurante Dona Chica, para o Horto Florestal de Campos do Jordão. Fotos: Degusta Vale.

Se você aprecia natureza, gastronomia e história, temos uma ótima sugestão de passeio: visitar uma importante remanescente da Mata Atlântica, mais especificamente o Parque Estadual Campos do Jordão, também conhecido como Horto Florestal, para viver uma rica experiência gastronômica, em meio às araucárias, no restaurante Dona Chica.

O restaurante, já conhecido pela gastronomia regional e típica da montanha, quer estreitar ainda mais a relação do visitante com o alimento, a terra, os produtores locais e as tradições da Serra da Mantiqueira com a proposta “Chefe na Floresta”, comandada por Anderson Oliveira. Em uma área exclusiva e rodeada de muito verde, o chef cozinha para grupos fechados, mediante reserva antecipada.

Com ingredientes que valorizam a região, Anderson cativa pelo carisma e por todo o conhecimento que carrega sobre a região da Mantiqueira e do parque que tem 80 anos. Entre ingredientes e um dedo de prosa, ele dá outro show à parte na condução da parrila e do fogão à lenha, servindo receitas como o leitão à pururuca e a truta salmonada. Tudo na companhia de legumes assados e de um risoto de pinhão com cogumelos.

“Domingo tinha carne de pesca, mas de segunda a sábado era arroz, feijão e o que dava na horta. Tínhamos o hábito de pegar o tomate de árvore e espremer no meio da comida”, relembrou Anderson sobre a infância.

“Quando eu abri aqui, queria ter o tomate de árvore. Daí eu plantei um pouco e coloquei no restaurante. Foi um sucesso. Plantei 10 árvores em casa, achando que seria autossuficiente, mas hoje tenho mais dois produtores rurais que me fornecessem”, complementou o cozinheiro, ao revelar que, se antes o tomate de árvore era um alimento esquecido, hoje ele é uma das estrelas do restaurante com o consumo de 40kg por semana.

Bebidas. De volta ao cardápio, para beber há boas opções no Dona Chica: vinhos, cervejas artesanais da Mantiqueira e drinques que valorizam ingredientes locais, homenageando, por exemplo, o papagaio-de-peito-roxo, que é tido como mascote do parque, feito à base de gin artesanal, produzido em São Francisco Xavier, licor de lichia, kiwi, suco de limão e soda.

Vale ressaltar que a ave, típica da Mata Atlântica, encontra-se ameaçada pela caça predatória. Por isso, o restaurante Dona Chica apoia um projeto ambiental para preservação da espécie, que distribuiu casas-ninho nas araucárias do parque. Inclusive, nas árvores próximas ao restaurante é possível ver as casinhas. E, tendo sorte, quem sabe um papagaio-de-peito-roxo.

Experiência. Além de almoçar ao ar livre, interagindo com o cozinheiro e com as aves Jacu, que já são conhecidas na casa e se encarregam da recepção dos convidados, ainda é possível aproveitar outras atrações do Parque Estadual como arborismo, tirolesa, trilhas, locação de bikes e passeios de pedalinho.

Antes disso, lembre-se de passar no empório do restaurante Dona Chica para levar a geleia de tomate de árvore para casa, entre outros produtos que reforçam toda a paixão do Anderson pelos pequenos produtores. Na atualidade, o estabelecimento incentiva mais de 35 empresas e famílias da Mantiqueira.

“Usamos no restaurante arrozes, cogumelos, azeites, destilados, queijos, rapaduras, geleias, PANCs (plantas alimentícias não-convencionais). Quando falo de Mantiqueira eu mapeio tudo. Vou de Atibaia até Aiuruoca. A riqueza que temos aqui não existe em outra região. Em diversidade, talvez se equiparem o Amazonas e o Pará”, finalizou o cozinheiro e empresário.

SERVIÇO

O restaurante Dona Chica fica dentro do Parque Estadual (Avenida Pedro Paulo, s/n°), em Campos do Jordão. O ingresso para acessar o parque custa R$ 16 e o estacionamento R$ 10.

A experiência “Chefe na Floresta” é oferecida mediante reserva antecipada. O preço por pessoa é a partir de R$ 150, podendo variar de acordo com o menu escolhido pelo grupo. Reservas: http://restaurantedonachica.com.br/reservas/

Deixe uma Resposta

um × 2 =