Jiló recheado com linguiça, empanado na farinha de torresmo

“Somos um caipira moderno”. É assim que o chef Vitor Rabelo define o restaurante Moringa Mantiqueira que acaba de ser inaugurado em Campos do Jordão. A casa, que fica na Vila Capivari, nasceu para valorizar os produtores regionais e mostrar a verdadeira identidade e autenticidade da nossa gastronomia regional.

Tudo começou com o “Saberes da Mantiqueira”, projeto educacional que o chef desenvolve como professor no Senac Campos do Jordão e que realiza expedições pela Serra da Mantiqueira e região em busca de produtos artesanais de qualidade.

“Encontramos muita coisa boa e com muito potencial. Percebemos, então, que poderíamos fazer algo para colocá-los em evidencia. Foi quando surgiu a ideia do restaurante”, conta Vitor Rabelo.

“A ideia é ajudar os produtores a se desenvolverem comercialmente, a darem vazão para os produtos. Fazer negócios de forma justa, contribuindo para que as pessoas percebam o valor agregado desses produtos”, completa Vitor Pompeu, que é sócio de Rabelo no restaurante com o restauranteur Anderson Cesar Oliveira. Todos professores do Senac.

E foi essa preocupação, com a valorização daquilo que é produzido na nossa terra, que também inspirou o nome “Moringa”, uma referência a um dos elementos mais importantes na formação do terroir da Mantiqueira: a água.

Cozinha. Enquanto Vitor Pompeu cuida do relacionamento com os produtores e Anderson Oliveira administra o restaurante, Vitor Rabelo cuida da cozinha e do serviço do Moringa.
Para criar o menu sazonal, que deve ser renovado a cada três meses, o chef conta que se inspirou nos ingredientes artesanais encontrados na região,em receitas tradicionais e nas técnicas de gastronomia que ele aprendeu nas passagens por restaurantes conceituados do Brasil e da Espanha.

“Não somos um restaurante contemporâneo minimalista, nossa cozinha é autoral e descomplicada”, afirma Rabelo.

Ainda é cedo para apontar os carros-chefes da casa, mas entre as receitas que têm feito sucesso está o jiló recheado com linguiça, empanado na farinha de torresmo, e o ceviche de truta com batata doce e pipoca de canjiquinha. As entras custam entre R$ 20 e R$ 30.

O bife de Chorizo serenado é outra aposta do chef. A carne passa por um processo de cura durante dois dias, numa mistura de sal e açúcar mascavo, e é grelhada. A finalização é feita com manteiga e acompanha mandioca. Tem ainda stinco suíno (canela do porco), braseado (cozido) no fubá de milho crioulo orgânico. Os pratos principais ficam entre R$ 40 e R$ 50.

Aos finais de semana, ainda dá para pedir as “Panelinhas” para compartilhar. O cliente escolhe uma proteína que chega à mesa guarnecida com feijão tropeiro, saladinha de couve e azedinhas, arroz cremoso e salada cremosa de batatas. O pernil suíno para quatro pessoas sai por R$ 220; o galeto para duas, R$ 78; já a truta, R$ 98.

Entre as sobremesas, destaque para o “Doce de pão da vovó”, servido com creme inglês e cacau, inspirado na receita de mais de 70 anos da avó do chef Vitor Rabelo, dona Clarinda. O pão brioche é umedecido no leite e na gema de ovo, depois frito em calda de açúcar.

Pra beber. As cervejas artesanais e os vinhos brasileiros completam a experiência com o melhor da região no Moringa. Entre os rótulos, produções da Mantiqueira como os vinhos Guaspari (Espírito Santo do Pinhal), Baú 9,4 (São Bento do Sapucaí).

A carta de drinques ainda brinca com criatividade com clássicos e traz releituras com ingredientes regionais. Uma das criações do barman Gabriel Ribeiro é o “Sangue da Serra”, versão do Bloody Mary feita com Tomate de Árvore.

Ambiente Moringa Mantiqueira


Moringa também é armazém 

Como nasceu da proposta de ser uma vitrine para os produtos artesanais da região, o Moringa Mantiqueira também oferece ao cliente a oportunidade de leva-los para casa.

No armazém do Moringa tem queijos e embutidos, geleias, azeites, cervejas e cachaças, fubá de milho crioulo, favo de mel, limão cravo, tomate de árvore, pancs (plantas alimentícias não convencionais) e outras hortaliças.

Em breve, o restaurante ainda deve abrir a agenda de eventos, para promover a experiência “do campo à mesa”, com expedições gastronômicas, degustações e palestras.

Moringa Mantiqueira
Av. Dr Emílio Ribas, 478, Capivari – Campos do Jordão
Abre todos os dias até o final de julho, das 12h às 16h; das 19h30 às 23h
Tel.(12) 9 9641-2787 I @moringamantiqueira

Deixe uma Resposta

vinte + 6 =