Foto: Pixabay

O consumo de legumes e verduras tende a reduzir durante as estações mais frias. Além de o nosso organismo pedir alimentos mais calóricos, costumo ouvir com frequência de pessoas mais próximas que esses alimentos mais saudáveis dão muito trabalho na hora de preparar.

A verdade é que é possível otimizar o tempo de higienização e de preparo de legumes e verduras e até conserva-los prontos para o consumo na geladeira ou no freezer. Pra te ajudar, o Degusta Vale traz algumas dicas da professora doutora Roseli de Sousa Neto, do Centro Universitário Senac – Campos do Jordão, especialista em Microbiologia e Higiene de Alimentos e Princípios Básicos de Nutrição. Confira!

Legumes

1. Praticamente todos os legumes podem ser congelados. Ex. pimentão, vagens, cenouras, abobrinhas, couve-flor, brócolis, chuchu. Tomate pode ser congelado cru, mas para uso em molhos ou sopas.
2. Higienização: legumes que serão cozidos, lavar em água corrente para eliminar as sujidades (terra, por exemplo), retirar as cascas e cortar. Somente a lavagem em água potável é suficiente.
3. Para reduzir o tempo de cozimento, o legume pode ser cozido já cortado.
4. Fazer o branqueamento: a água precisa ferver e o legume permanecer nela de 2 a 5 minutos. Em seguida, deve ser retirado com uma escumadeira e colocado em banho de gelo para abaixar a temperatura (2 a 5 minutos). Uma pitada de sal n água deixa a coloração do vegetal mais vibrante.
5. Tirar o legume do banho de gelo e secar com pano limpo e seco ou toalhas de papel. Tomate, pepino e rabanete não devem ser branqueados.
6. Congelar os legumes separados, se for em grande quantidade, ou em porções individuais juntos, para saladas.
7. Pode usar qualquer tipo de recipiente. Eles não interferem nas características do alimento congelado. Os saquinhos plásticos ocupam menor espaço e podem ser empilhados também.
8. Os legumes podem permanecer congelados por seis meses.
9. Para descongelar, o ideal é deixar o legume descongelando na geladeira ou colocar o recipiente em uma bacia com água fria potável. No micro-ondas, acrescentar um pouco de água e usar a potência adequada.
10. Os legumes branqueados/escaldados podem ser consumidos na forma de saladas cozidas após o descongelamento ou refogados e ensopados.

Imagem de Jerzy Górecki por Pixabay

Verduras

  1. Retirar as folhas queimadas (escuras), amareladas ou danificadas e lavar em água potável corrente folha a folha.
  2. Deixar de molho em solução contendo hipoclorito de sódio, no período de tempo indicado pelo fabricante (geralmente 20 minutos). Logo após, enxaguar em água correte para retirar os resíduos do produto e secar as folhas com folhas de papel ou aparelho próprio para secagem de folhas. Com a umidade, as folhas podem estragar (apodrecer) mais rapidamente.
  3. As folhas de alfaces ou de escarola quando picadas estragam mais rápido. O ideal é picar somente quando forem utilizadas. A couve pode ser armazenada sob refrigeração já picada, porém alimentos já minimamente processados devem ser utilizados num período de três a cinco dias, pois perdem o frescor.
  4. Outro cuidado é que as folhas devem ser armazenadas nas últimas prateleiras da geladeira por serem menos frias a fim de não queimar as verduras.
  5. As verduras podem ser armazenadas em potes de plásticos ou vidro com tampa. Eles devem estar limpos, secos e forrados com folhas de papel para absorção da umidade. Também pode intercalar as folhas das verduras com as folhas de papel toalha.
  6. Em média, as folhas podem ser guardadas de 7 a 10 dias, dependendo da qualidade da verdura. A escarola (chicória) aguenta bem até 15 dias.

Deixe uma Resposta

14 + doze =